PandaPay: Sua relação com o dinheiro evoluiu

(R)Evolução Financeira PandaPay

Desde os primórdios o homem foi capaz de estabelecer um valor para o que possuía e, principalmente, o que desejava possuir. De lá para cá, foram criados bancos, moedas, cartões, criptomoedas, meios de pagamentos instantâneos, etc. Mas é nítido que o ritmo tímido da indústria financeira (seus maiores feitos do séc.XX foram o cartão de crédito e o caixa automático) vem sendo acelerado graças ao advento da internet. Estamos migrando da era da informação e da internet das coisas para a era da internet do valor.

Neste contexto, aprofundar o acesso financeiro com maior transparência e eficiência através da inovação é tema central de todas as instituições financeiras presentes em nossa sociedade. Mas será que elas estão obtendo sucesso?

No Brasil, entre 2016 e 2017, o número de pessoas abaixo da linha da pobreza aumentou 11%, com os 50% mais pobres tendo retração de 3,5% em seus rendimentos e os 10% mais ricos, um aumento de 6%, fato que tornou o país o 9º mais desigual em renda, segundo a OXFAM.

No entanto, o Brasil é a nona economia do mundo e, de acordo com o relatório do BC, o lucro líquido dos bancos somou R$ 98,5 bilhões no ano passado, batendo recorde da série histórica, que começou em 1994. As receitas com tarifas bancárias chegaram a R$ 48,1 bilhões e com os cartões, R$ 64,8 bilhões.

Relatório Credit Suisse sobre riqueza no mundo

Esse contraste é impulsionado por dois fatores centrais destas instituições financeiras: Sistemas de legado e Manutenção do Status quo;

O primeiro é simples, bancos possuem sistemas estruturados há mais de décadas, e novos sistemas criados em cima dos anteriores, fato que torna a estrutura complexa e custosa para qualquer tipo de mudança. Porém, à medida que a tecnologia disponível no mercado avança, essa estrutura se torna cada vez mais defasada e obsoleta, abrindo espaço para novos entrantesé muito mais fácil mudar a direção de uma lancha do que um transatlântico para evitar um iceberg.

Já o segundo é um reflexo dos números supracitados. Parafraseando o ditado popular: em time que está lucrando não se mexe. Neste contexto, é com muito orgulho que

Criamos o PandaPay com a missão de democratizar o acesso a produtos e serviços financeiros, através da tecnologia blockchain, aumentando a praticidade e a liberdade do consumidor, sem acarretar em custos extras. Em sua raíz, PandaPay é: Centrado no consumidor, guiado pela inovação.

Por essa razão, é um app da área de finanças que promove a transferência de valor entre pares de maneira 100% digital. O usuário pode transferir dinheiro para quem quiser, receber pagamentos, pagar contas e boletos com cashback, tudo instantaneamente, de maneira ilimitada e sem pagar nenhuma taxa. Além de poder investir em produtos e serviços financeiros.

Ratificando a preocupação com praticidade, qualidade e liberdade, também é possível depositar fundos de diversas maneiras, ganhar prêmios e descontos exclusivos no app, dividir contas com amigos, contratar empréstimos sem necessitar de bancos e muitas outras funcionalidades, que o consumidor merece, e que ainda serão implementadas ao longo de nossa caminhada.

Tudo isto é possível graças à tecnologia Blockchain

O registro de dados distribuído, auditável e imutável surgiu em 2008 com o advento do Bitcoin. Desde então, é responsável por um dos maiores hypes de inovação já vistos, principalmente na indústria financeira.

Ciclo de Hype em torno do Blockchain, Gartner 2018.

2018 foi um ano de um shift institucional grande em direção à tecnologia, com o surgimento de Casos de Uso importantes e o ingresso de players robustos no mercado, como o Goldman Sachs, JPmorgan, IBM, Facebook, Fidelity, entre outros. Fato que comprova a saída da tecnologia de debaixo da aba das criptomoedas, tornando-se então, indústria de fato.

No PandaPay, será utilizado o melhor do Blockchain aplicado a pagamentos, isto é, um registro distribuído de todas as transações ocorridas, que pode ser facilmente auditado com cada conta atrelada a um endereço no Blockchain, facilitando a checagem de dados de maneira frictionless e, assim, otimizando todo o processo. O Panda conta com Marcelo MirandaEduardo Salvatore, Marco Vieira e Glauber Monteiro como sócios e é um Spin-off da empresa especialista nesta tecnologia, a Finchain, que conta com mais de 7 projetos em seu portfólio.

escalabilidade é garantida por ser uma solução de segunda camada, isto é, os inputs na camada base (blockchain nativa) serão feitos de acordo com o fluxo de transações, de maneira a evitar qualquer possível gargalo e garantir o mais alto nível de segurança. PandaPay é uma solução que utiliza o melhor do Blockchain, mitigando seus principais pontos de crítica.

No futuro, o Panda será a principal via de acesso brasileira a um mundo financeiro descentralizado, com o menor número de intermediários possível, através da tokenização de ativos e distribuição de valor em rede. Reiterando o compromisso com a democratização financeira e seu reflexo explícito na qualidade de vida do brasileiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *